quarta-feira, 12 de janeiro de 2011


Um cara romântico, que traga flores, que faça surpresas, que dê inúmeros presentes, que ligue a cada 5 minutos ou menos, que nunca sinta ciúmes, que diga que você está sempre certa, que nunca cometa erros, que nunca a magoe, essa é a idealização de amor que mais vejo, lindo e perfeito.

O amor de verdade não é bem assim, um cara tímido e sem condições para lhe dar flores a todo o momento, que nunca lhe fez uma serenata, nunca apareceu de surpresa pra te ver ou nunca lhe deu ou lhe levou a algo incrível, pode te amar tanto quanto o maior dos românticos e te presentear com um amor tão mais imenso e incrível do que qualquer outro presente que você possa querer ou imagine ganhar. Um cara que não te ligue sempre, pode pensar tanto em você como aquele que vive te ligando, ele pode estar esperando que você ligue para ele, pra saber se você também pensa nele, pense nisso. Ciúme não quer dizer possessividade, falta de confiança, quer dizer zelo amoroso, medo de perder. Nunca estar errado, nunca cometer erros, por que? A cada erro se tem a oportunidade de aprender, de crescer, de fortalecer. E para finalizar: o importante não é nunca magoarmos um ao outro, porque ás vezes não conseguimos evitar isso, pois somos apenas humanos. No entanto, quando a gente ama alguém, fica magoado, mas consegue perdoar. E ser perdoado.

Portanto, o amor não é perfeito, não espere que ele seja. Ele traz alegria, traz paz, felicidade, companheirismo, mas, também traz dores, aprendizado e perdão.

domingo, 19 de dezembro de 2010

te amo!


Já gostei de alguns garotos, é verdade, mas depois de você, os outros... são só os outros. Nenhum deles me conheceu e foi tão fundo, nenhum deles sabe exatamente o que cada expressão e cada tom de voz que eu uso significam, nenhum deles me apoiou nas minhas decisões, nas minhas conquistas e derrotas, conheceu meus sentimentos, minhas manias, meus jeitos e gostou de mim pelo que eu sou, nenhum deles é como você, assim como nada que eu possa ter sentido por caJda um deles, nada se compara ao que sinto por ti, ao que eu sinto quando te vejo, ao que eu sinto quando te toco, ao que eu sinto a cada beijo, a cada abraço.

Eu sei que tive sorte, por ter te encontrado, por ter encontrado a parte que faltava em mim, meu encaixe, minha metade.

Amo ver teu sorriso;

Amo quando tu me abraça, me fazendo sentir segura e protegida;

Amo quando me pega no colo, me gira, me faz cócegas, fingi me deixar cair e diz “confia em mim amor, não vou te deixar cair”, apesar de gritar, te mandar parar;

Amo quando tu fica com ciúmes;

Amo quando tu me provoca e me deixa com ciúmes;

Amo teus beijos, rápidos, longos, carinhosos, quentes, melados, todos;

Amo mexer no teu cabelo, e amo quando meches no meu;

Amo ficar te fazendo carinho e te olhando enquanto dorme no meu colo;

Amo quando tu me convida pra fazer alguma coisa contigo;

Amo fazer qualquer coisa que seja contigo, tua companhia é inigualável;

Amo conversar contigo, sejam assuntos sérios, idiotas ou sem nexo;

Amo quando me contas coisas;

Amo te ouvir, saber da tua opinião;

As razões são infinitas, somadas aos momentos bons e ruins, tudo que passamos juntos, formam um conjunto de coisas incomparável, que só nós dois sabemos e sentimos.

Pelo que tu és, pelo que tu representa pra mim, pelo que tu faz por mim, por tudo que nós construímos.. eu te amo!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Oi :D

"Por mais que a gente cresça, há sempre alguma coisa que a gente não consegue entender" EDW


É, eu acho que a minha felicidade está nos meus amigos.. As coisas estão normais, nada melhor que ir pro colégio, passar menos tempo em casa. Por um lado eu me sinto muito bem longe das pessoas que me dão presente e que de um lado da vida mandam em mim até os meus 18. Bom, eles são a minha familia, e isso não muda, mas as vezes eu me sinto tão bem longe disso tudo.. Mas desta vez posso dizer que parece que as pessoas não ligam mais pra mim, talvez antes fosse tudo tão Bom, mas eu também não estou ligando, acho que pela 10ª vez na minha vida eu fiquei em recuperação no colégio e por um lado eu to com menos 1, talvez 2 pontos de confiança a menos em mim mesmo, mas eu também não to lingando pra confiança. Hoje fico pensando em todas as pessoas que passam por mim e se elas realmente são felizes; como eu já perdi amizades as vezes me da um certo medo de tudo isso. Mas eu vejo por um lado que na vida muitas pessoas passam por nós e a metade delas com o tempo não ficam mais do nosso lado. Isso pode parecer Infeliz mas eu não sei dizer; quanto as pessoas serem felizes dentro ou fora de casa não é um paraiso, não é um conto de fadas que no final tudo fica bem.


"Em todas as coisas humanas, quando se examinam de perto, demonstra-se que não se pode afastar os obstáculos sem que deles surjam outros." Mql

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

dezesseis

Se eu demorar, me espera. Se eu te enrolar, me empurra. Se eu te entregar, aceita. Se eu sussurrar, escuta. Se eu balançar, segura. Se eu gaguejar, me entende. Se eu duvidar, me jura. Se eu for só tua, me tenha. Se eu me mostrar, me veja. Se eu te amar, me sente. Se eu te tocar, se assanha. Se eu te olhar, sorria. Se eu te perder, me ganha. Se eu te pedi, me dá. Se eu chorar, me anima, mas se eu sorrir.. é por você.

domingo, 31 de outubro de 2010

quinze

Tenho pensado em tantas coisas agora, deixei minha cabeça em um total embaraço e tá difícil de achar a ponta e desatar esse nó. Me sinto mais sensível, mas frágil, por que? Cadê minha força?

Ao mesmo tempo que vejo as coisas bem, sinto um vazio, e então aquelas lembranças voltam e me fazem lembrar que eu ainda tenho uma ferida no peito e então, eu me sinto tão idiota. Não sei ao certo a razão por me sentir assim, importa? Te importa?

Hoje foi doloroso falar sobre isso, sem querer lágrimas voltaram aos meus olhos. Uma pessoa me falou que feridas assim nunca se fecham, mas por que eu não me importo? Por que tudo que eu quero é continuar, com dor ou sem dor, por que as coisas não fazem sentido longe de ti?

E só mais uma coisa... por que eu sinto que não sentes o quanto eu te amo? Por que parece ser tão insuficiente o modo como tenho te dito isso?

Tenho esperado encontrar respostas pra tudo isso e um pouco além, mas tudo que tenho cada dia mais, são mais pontos de interrogação.



Já tá tarde, queria te ligar, ouvir tua voz, te desejar boa noite, dizer que te amo, e te ouvir dizer que também me ama, como de costume, mas não atendes o celular. Sim, isso é banal, mas exatamente agora, faz tanta falta...

domingo, 10 de outubro de 2010

quatorze


Tenho que confessar que os últimos dias, não têm sido os melhores. Venho tentando entender, onde eu errei, em que ponto eu falhei, o que eu deixei faltar. Eu queria realmente entender, saber se esse erro realmente foi meu, ou apenas encontrar uma solução, uma resposta que aliviasse essa culpa dentro de mim.

Sabe, parece que eu já enfrentei isso antes, essa vontade de querer apenas sumir, de sentir que minhas forças se esgotam a cada dia um pouco mais, a incerteza do amanhã, a falta de vontade de viver, de levantar da minha cama todas as manhãs e enfrentar um novo dia.

Porque não importa o que eu faça, tudo parece ter desmoronado nas minhas costas, e eu não sei por onde recomeçar, onde encontrar a saída.

Sinto que dentro de mim há algo em pedaços, estraçalhado, pedindo por socorro e por cura. Mas onde encontrar a cura verdadeira?

Não posso mais enganar a mim mesma, tentando acreditar que está tudo bem, que eu estou “curada”, por que essa não é a verdade. Tenho somente camuflado a verdade, com curativos frágeis, que se rompem involuntariamente, deixando apenas uma ferida exposta, que eu novamente tento cobrir, de outro modo, que por um momento parece funcionar, mas que quando menos se espera falha novamente.

Como sobreviver a esta instabilidade, como sair viva de tudo isso?

Vontade de desistir, explosões e crises emocionais, tornaram-se constantes, mas, é como correr para o lado oposto. Porque eu acredito, eu sempre acreditei, é só mais uma fase, e o tempo bom há de vir, e quando ele chegar é exatamente onde estou que eu quero permanecer, porque eu acredito, sim, eu ainda acredito que haja futuro, esperança, felicidade... ao seu lado.

Ainda é, sempre será tudo que eu desejo, acordar amanhã e estar ao seu lado, saber que tenho você e então poder correr para os seus braços e mais uma vez te dizer que te amo.

Seria imperdoável desistir agora, insuportável a dor de deixá-lo ir, é indispensável dizer mais uma vez o quanto eu te amo. Por que? Porque agora você me deu tudo que eu precisava pra seguir em frente. “Vai ficar tudo bem!”

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Two Lives.. One Heart

Bom, para começar queria agradecer a Laura por me ceder este espaço aqui no blog dela *-*. A história de qual vos falo é de minha autoria, porém escrevi algumas páginas e não dei conclusão desta. Escrevo a resenha da história, por tanto quem gostar, de um up :D

Two Lives.. One Heart!

Danyela Bullock é uma adolescente que está condenada a viver eternamente com um segredo sombrio e ao mesmo tempo odiado até mesmo por ela. Danyela odeia quem ou o que, odeia tanto quanto ser chamada assim "Danyela", prefere "Dany", o apelido dado por sua mãe no segundo seguinte em que Dany nasceu. Porém tudo muda quando sua mãe morre. Em busca de saída para acabar com seu sofrimento Dany muda -se com seu pai para uma pequena cidade chamada Portland, a onde acaba conhecendo um jovem atraente Dean Browte.
Dean é um garoto popular da escola Wharton e joga no time de basquete. A os seus 4 anos teve seu pai e sua mãe mortos em um trágico acidente de carro, quando então passou a morar com seu tio Alfred e tia Missy.
Foi necessário poucos dias para que Dean e Dany se aproximarem. A garota tímida vinda do sul e o garoto popular acabam descobrindo um no outro uma paixão que aumenta a cada olhar, cada abraço, cada respiração.
Com este amor proibido os dois tentam achar uma saída e mal sabiam eles que ela estava perto. Infelizmente


Mateus Brandão